No Limbo

Do alto dos meus 33 anos e 1 dia e toda a sabedoria acumulada neste período, achei que já era hora de compartilhar um pouco das insanas e recorrentes histórias de nós, balzacas, vivendo no limbo da falta de machos. Histórias reais e fictícias, minhas, de amigas e de personagens, que pretendo que ilustrem o surreal que é essa transição sociológica onde cabe de tudo: desde pessoas que te encaram com piedade (como se o fato de não ter um bofe transformasse você em um ser mutilado), até as que te olham com inveja (como se o fato de você sorrir mesmo assim, te transformasse em uma semideusa autotrófica)...



ATENÇÃO: Os nomes foram trocados ou omitidos em uma tentativa de se manter um mínimo de dignidade





quinta-feira, 5 de agosto de 2010

Cobertor de Orelha

Ah, não. Hoje não!

Não me peça para escrever sutilezas, para usar o bom humor, para fazer textos leves. Hoje não! No frio não dá. O frio é tempo de ser direto. É época de fechar negócio, não de fazer gracejo. Época de se assumir (e tenho medo de usar essa palavra, pois corro o risco de tirar mais uns 3 gays do armário): EU QUERO UM COBERTOR DE ORELHA!

O frio é o clima do tédio para as mulheres sozinhas. Se você tiver um mínimo de juízo, não dá pra por o nariz na rua com esse tempo. Nem venha me dizer que dá para ir para a balada, que nesse frio o joelho range depois dos 30 - tenta dançar pra ver! Até comer é deprimente. Prato para um no frio é sopa. Não interessa se é sopa de envelope para comer em casa, ou sopa no pão para comer na rua. Sopa é prato de gente sozinha. Fondue é de frio, é muito mais legal, mas é para dois.

Até beber, que é sempre um consolo, no frio é complicado. Bebida de frio é vinho tinto e uma bela garrafa de vinho tinto deveria ser tomada a dois. Tudo bem, gente... sou plenamente capacitada a tomar uma garrafa de vinho sozinha, mas isso é pura falta de opção.

Frio pede acompanhamentos. Pede fondue, vinho tinto, cobertor de orelha, conchinha e sexo e, obviamente para tudo isso, companhia.

Hoje só me resta o chocolate. Que serve tanto para o frio quanto para a falta de tudo isso.

Agora me dê licença, que estou com tanta saudade de um namorado que preciso ir ali, assistir um futebol!

2 comentários:

Daniela Augusto disse...

E pensar que tenho em casa fondue, vinho, chocolate... tudo!!!! Menos o principal, a companhia.
Que dureza!!!!

T.S. disse...

Poxa, gostei da casa nova...
Achei o texto eficiente, do jeito que eu gosto: objetivo e sincero.
Vou continuar acompanhando. bjok